08
dez

4
Rene-Magritte-The-Kiss-1951-1024x811

A mala precisa ficar mais leve…

Há cinco anos, tive a oportunidade de trabalhar com pessoas que sofriam de “canse”, afinal de contas, também é disso que o câncer fala, de um cansaço. Depois que a gente se depara com ele, a vida parece nos clamar por mudança, a partir dessa doença nos damos conta de quanta coisa enfadonha carregamos sem necessidade. A mala precisa ficar mais leve.

No meu trabalho vi muita gente morrer desse mal, não aguentei, decidi de uma vez por todas me afastar daquele cansaço, eu não precisava estar ali. Mas não podemos controlar a vida, né? Há quatro anos, meus familiares começaram a adoecer de câncer. E agora? Até quando vou ter que suportar isso? Vou me afastar? Eu me perguntava. A vida me ensinou que quando não conseguimos vencer um inimigo devemos nos juntar a ele.

Assim, escolhi encarar e enfrentar momentos de muita dor emocional, porque não há nada mais dolorido do que ver quem a gente ama sofrer. Encontrei também consolo ao perceber que eu podia ser descanso e leveza na vida de quem sofria tanto, e me esforcei ao máximo pra ressignificar essa dor.

Dei-me conta que eu não podia esperar os momentos tristes passarem pra eu poder me divertir, a vida podia não me dar essa trégua e o tempo passava pra mim também. Não é pecado se divertir enquanto alguém querido sofre, embora seja isso que eu escutei. Precisamos encontrar um tempo pra gente, um tempo pra recarregar nossas baterias.

Ao fim do sofrimento com a minha família, decidi voltar a trabalhar com Psico-Oncologia, mas agora com pacientes que estavam no estágio inicial da doença, começando os tratamentos. Descobri que existe cura, existe vida após o diagnóstico de câncer e muita! O câncer às vezes é a chance que recebemos de reavaliar a forma como estamos encarando a vida. Como estão os nossos projetos, nossos trabalhos, nossos afetos… É, a vida passa correndo. Às vezes pensamos que é perda de tempo parar um pouco e repensar isso ou mudar algo que não está indo bem. Será?

Há pouco tempo recebi o diagnóstico de câncer, fiquei muito triste, a verdade é que nunca estamos prontos pra escutar o que ele tem a nos dizer. O câncer veio pra lembrar algo que a gente costuma esquecer: somos mortais. Quanta alegria adiada, abafada, quanto amor deixado pra amanhã. Quem dera gritar: “Não fiquem se guardando pra quando o carnaval chegar.” A vida é hoje!

Comentários (4)

  • Giovanna

    Pois é Mari, o “canse” cansou todos nós e ainda tem cansado, por isso meu lema a cada dia que passa é #avidaéagora , gostei muito do seu texto e sigo e apoio sua linha de pensamento. Vamos viver tudo que há pra viver!

  • Marilda da Nóbrega Dantas

    Mariana, que texto lindo, verdadeiro e emocionante, sei que vc escreveu com a alma. Parabéns, me emocionei muito!!! Hoje eu vi que minha menina cresceu,’virou uma grande mulher, sabendo como ninguém usar a psicologia, ñ só com os seus pacientes, mas,também com si própria. Te admiro muito!!! 😍😍😍👏👏👏

  • Cecília Galvão

    A mala precisa ficar mais leve para poder carregar ainda o tanto de encantos que a vida vai lhe apresentar.
    Texto lindo, amiga. Escrito com a alma, com uma delicadeza que toca no âmago de quem lê.
    Muito orgulhosa de você: do seu trabalho escrito e desse trabalho interno que vc vem escrevendo dia após dia.

  • Mariane Galvão Diarte Morpró

    Parabéns,Mari!!Emocionante!!